quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Hoje a noite tem Luar e Eclipse também


Entre a noite desta quarta-feira (20) e a madrugada de quinta-feira (21) será visível em todo o Brasil um eclipse total da Lua. Entre 0h01 e 0h51, o satélite natural vai ficar completamente sob a sombra da Terra, adquirindo uma cor avermelhada, em um espetáculo que poderá ser visto novamente desse modo apenas em 21 de dezembro de 2010.
Eclipses lunares ocorrem quando Sol, Terra e Lua se alinham e o satélite natural percorre a sombra gerada por nosso planeta. Entretanto, a Terra não barra completamente a passagens dos raios - alguns, ao passarem pela atmosfera terrestre, sofrem desvio e atingem a superfície lunar. É isso que faz com que a Lua adquira o tom avermelhado.
A análise dessa coloração é importante pois ela revela o grau de poluição da atmosfera. Tanto aquela gerada pelo homem quanto a natural, resultante de gases e partículas emitidos por vulcões, por exemplo.
O eclipse de hoje poderá ser visto da maior parte das Américas, da Europa e da África. No Brasil, será possível ver o fenômeno do começo ao fim, se as condições metereológicas forem boas.
Segundo Roberto Boczko, professor doutor de astronomia do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da USP (Universidade de São Paulo), eclipses lunares ocorrem pelo menos duas vezes por ano, mas nem todos têm condições de visibilidade são boas.
Na realidade, a sombra da Terra é composta por duas áreas em formato de cone, que ficam uma dentro da outra. A parte mais externa, chamada penumbra, é a região em que a Terra não bloqueia todos os raios vindos do Sol. Na área mais interna, que leva o nome de umbra, praticamente todos os raios são bloqueados.
O eclipse de hoje terá início às 21h35, mas, nessa fase, só poderá ser observado por quem tiver um telescópio com fotômetro. Isso porque a Lua estará percorrendo apenas a área de penumbra (veja ilustração abaixo).
Apenas às 22h43 é que o fenômeno poderá ser visto a olho nu. A partir desse horário, o satélite natural começa a entrar na umbra. Daí por diante, a Lua muda gradativamente de cor, até que, às 0h01, tem o início o eclipse lunar total, quando o satélite está totalmente sob a sombra da Terra.
Essa fase vai durar até as 0h51, quando o processo começa a se reverter. Às 2h09 não será mais possível ver o eclipse a olho nu. O fenômeno se encerra definitivamente às 3h17, quando a Lua sai novamente da área de penumbra.
Um eclipse lunar ocorre apenas na lua cheia, quando satélite e o Sol estão em direções opostas, do ponto de vista da Terra. O que impede que um eclipse ocorra toda vez que a Lua está cheia é a inclinação da órbita da Lua em relação à da Terra. Com isso, na maior parte do ano, o satélite passa acima ou abaixo da sombra.
Segundo a Nasa (agência espacial norte-americana), um outro fenômeno como esse vai ocorrer em 16 de agosto desse ano, mas será apenas parcial. Em 2009, devem ocorrer quatro e outros dois em 2010. Entretanto, apenas o último de 2010, marcado para 21 de dezembro, será novamente total.
Boczko afirma que os eclipses tendem a se repetir a cada 18 anos, 11 dias e oito horas, em um intervalo chamado de Ciclo de Saros. "Se o senhor escolher ficar caçando eclipses, já pode se aposentar depois desse período. Depois disso vai ser tudo uma repetição, você já terá visto todos", diz ele.
Marcelo Katsuki/Arte Folha

Imagem mostra trajetória da Lua durante eclipse;

fenômeno poderá ser visto a olho nu entre 22h43 e 2h09

Nenhum comentário: